A perícia médica do INSS é cercada por muitas dúvidas e incertezas por parte dos segurados que se encontram incapacitados para o trabalho. Tal situação é campo fértil para criação de diversos mitos sobre como passar por tal avaliação.

Muito embora não existam fórmulas mágicas para garantir a aprovação na perícia médica, alguns cuidados são recomendáveis. Assim, com base nos principais problemas enfrentados pelos segurados, elaboramos algumas dicas que podem ser úteis àqueles que precisam se submeter à avaliação pericial do INSS.

Primeiramente, é importante que o segurado tenha em mente que a incapacidade para o trabalho é avaliada por meio da correlação entre as suas limitações e as características do trabalho que exerce. Assim, é importante que as respostas aos questionamentos do perito sejam focadas no motivo que causa a incapacidade para o trabalho. Muitos segurados fazem longas descrições de todos os problemas de saúde que possuem, as quais, na maioria das vezes, não tem qualquer efeito positivo no resultado da perícia.

Não existe razão para o exagero ou simulação, seja realista quanto às suas limitações laborais. Descreva o seu trabalho e o porquê não tem conseguido desempenhá-lo.

Outro ponto importante são os documentos médicos a serem apresentados para demonstrar a incapacidade para o trabalho. É importante que o segurado leve para a perícia o máximo de documentos possíveis, tais como relatórios médicos, exames, comprovantes de internação e etc. Recomenda-se que tais documentos sejam recentes, com não mais que três meses.

Converse com o seu médico particular e peça orientação de como comprovar a sua incapacidade perante o INSS. Peça a ele que, se for necessário, solicite a realização de exames que possam comprovar a sua incapacidade, pois muitas doenças somente são detectáveis por meio exames médicos.

Além disso, leve no dia da perícia a sua Carteira de Trabalho ou outro comprovante da profissão exercida, uma vez que, conforme dito, a incapacidade somente restará configurada se as limitações impedirem o exercício da profissão efetivamente exercida pelo segurado.

Exija um comprovante do comparecimento no dia da perícia médica para que, no caso de eventual alegação de não comparecimento, você possa fazer contraprova. Para tal fim pode ser usada a ficha da fila de espera.

É interessante, também, que o segurado tire cópia de todos os documentos que levar na perícia médica pois poderá haver retenção de tais documentos pelo perito e o segurado poderá ficar sem provas para interpor recursos ou ajuizar ação judicial.

É obrigação do médico perito avaliar a situação laboral do segurado e tratá-lo com respeito e atenção. Em caso de mau atendimento ou de perícia realizada em poucos minutos, reclame com o Chefe da Agência ou faça uma reclamação na Ouvidoria do INSS.

Por fim, para quem está com benefício ativo, é importante que mantenha atualizado o seu cadastro junto INSS para que não corra o risco de não receber eventual convocação para perícia, pois tem sido grande o número de benefícios cancelados pelo não comparecimento à perícia médica.

#auxíliodoença #períciamédica #benefíciosporincapacidade #aposentadoriaporinvalidez

Iniciar agora
Fale conosco por WhatsApp