Um bom planejamento previdenciário tem como principal objetivo garantir liberdade financeira em momentos de adversidades. A lógica é simples: poupar agora para usufruir no futuro.

Atingir a tão sonhada liberdade financeira exige um comprometimento muito grande mas os resultados são compensadores. Para isso é importante ter muita diciplina e estar atento às possibilidades disponíveis.

Neste post você verá três pontos importantes que você deve considerar ao planejar a sua aposentaodria. Estar ciente deles pode ser o diferencial que você precisa para atingir o seu objetivo.

1. Planejamento previdenciário não engloba somente a previdência pública

Embora a previdência oficial do governo seja de extrema importância ela não é a única forma de previdência possível. O próprio conceito de previdência é muito mais amplo do que simplesmente a previdência oficial pública. A palavra previdência surgiu do latim previdentia, que significa “previsão” ou “prevenção”. Assim, ser previdente é prever e criar alternativas para suprir as consequências de situações indesejadas pelo indivíduo, no nosso caso, garantir recursos financeiros em situação de incapacidade para o trabalho, velhice e outros riscos sociais.

Portanto, ao fazer o seu planejamento previdenciário considere incluir em seus planos outras formas de poupança. Investimentos em previdência privada, aplicações financeiras, ações, fundos de investimento ou em imóveis podem garantir renda e uma melhor qualidade de vida na velhice.

2. O objetivo final é a liberdade financeira

Um dos aspectos mais importantes, e lembrados, da previdência é o seu caráter protetivo em relação a certas contingências sociais. Assim, caso o trabalhador não possa prover a sua subsistência ou de sua família em razão da idade, incapacidade para o trabalho ou outras causas, ele terá o dinheiro da aposentadoria para suprir a ausência de renda.

No entanto, tal conceito tradicional tem sido ultrapassado pela ideia de liberdade financeira. Assim, atualmente a aposentadoria tem sido vista cada vez mais como uma garantia (reserva financeira) que permite ao indivíduo tomar certas decisões sem preocupação unicamente com aspecto financeiro.

Trata-se de uma visão mais proativa em relação à aposentadoria, na qual a reserva financeira acumulada durante anos de trabalho é usada para que o indivíduo possa, por exemplo, mudar de carreira e trabalhar em outras áreas e locais de forma mais flexível e com mais satisfação pessoal, dedicar-se à educação dos filhos, investir na própria educação e melhorar o currículo, ou, até mesmo,  antecipar a sua aposentadoria e deixar de trabalhar totalmente.

3. O valor da aposentadoria é somente uma parte da equação

A maioria das pessoas quando estão planejando a aposentadoria pensam somente no aspecto financeiro de tal fase da vida. No entanto, existem outros pontos a considerar e que são tão importantes quanto o valor da aposentadoria. Sob este aspecto, estar mentalmente e emocionalmente preparado para o momento em que você encerrará a sua carreira profissional é de suma importância.

Ter tempo livre para fazer o que quiser pode ser muito bom, mas o que algumas pessoas descobrem após se aposentar é que somente isso não basta. Tempo livre não é necessariamente bom quanto você passa a usá-lo somente em frente a uma televisão desejando achar algo para fazer. Especialmente, para quem passou uma vida inteira dedicada à profissão. Portanto, é necessário desenvolver novos propósitos de vida.

Trabalho dá propósito às nossas vidas, portanto, não pense na aposentadoria como uma forma de suprimi-lo da sua vida. Pelo contrário, busque substituí-lo por outras coisas que garantam sentido à sua vida.

Quer saber mais sobre planejamento previdenciário? Clique aqui!

Iniciar agora
Fale conosco por WhatsApp